Título da Redação: Intolerância cresce e o Brasil Retrocede

Proposta: A intolerância religiosa no Brasil

Redação enviada há quase 3 anos por Japa


A intolerância religiosa cresce no Brasil e no mundo, graças a falta de respeito ao próximo, que sempre foi um dos grandes problemas do convívio em sociedade. Cultos de origem afro-brasileira e cristã, como o candomblé, umbanda, evangelismo, catolicismo ou o não culto, o ateísmo; são frequentes alvos de ataques cibernéticos, físicos e morais. O que se constata, é um Brasil laico, constitucional, mas seu povo, hegemonicamente é cristão. Influenciando setores governamentais, midiáticos e sociais.

Fatos legitimam o evidente retrocesso constitucional e influenciador brasileiro, como: A criação da bancada cristã no congresso nacional e seus representantes, que desenfreiam árduas lutas a favor do ensino criacionista em escolas públicas, a isenção de impostos pastorais e o aumento de poderes políticos ás igrejas. O apoio financeiro, governamental, na criação de projetos faraônicos, como “O Templo de Salomão” e eventos religiosos, de grande porte. E até mesmo nas escolas de ensino básico, por intermédio da influência de professores e funcionários públicos, que incitam o proselitismo religioso, disfarçadamente.

A violência e a discriminação entre os grupos religiosos estão presentes em escolas, gerando o “bullying” e a exclusão; nas casas de família e repartições públicas, causando conflitos ideológicos. Nos casos mais extremos, parte do debate, a agressão física, legitimados pela má interpretação do discurso religioso. Em geral, a umbanda e o candomblé, sofrem preconceitos em seus rituais de sacrifício. Os muçulmanos são hostilizados e generalizados, por conta da propagação dos feitos dos grupos mais radicais, pela mídia. Os católicos e evangélicos são focos de debates, em que o assunto é a corrupção, e a luta acirrada entre as ramificações do cristianismo, na disputa por fiéis.

Respeitar as diferenças, em sua grande maioria, não é a maior habilidade do ser humano, e a história é conivente com os fatos. Seja na descoberta de novos territórios, como a América, pelos portugueses, que junto à companhia de Jesus, catequizou diversos grupos indígenas, com o intuito de alterar a organização social e religiosa. Rudimentares do ponto de vista “civilizado” europeu. Ou até mesmo um dos maiores genocídios da história, o Nazismo, que tinha como vertente, o repúdio ao distinto religioso, racial e cultural.

Uma das formas de atenuar a intolerância e o conflito religioso, que acaba denegrindo a sua imagem, seria a aproximação das religiões, pois o ato de respeitar, é tocar ao próximo, é conviver com o oposto. Deixa-se de lado, na esfera religiosa, a busca por uma verdade absoluta inalcançável, debatendo teses, que comprovem ou não, a existência de algo. E sim, fazendo o bem aos semelhantes e propagando o amor, em prol de um melhor convívio social, que em algumas instituições religiosas, não é praticado há séculos. O poder público, junto às escolas e a mídia, poderiam criar campanhas imparciais e informativas, sobre as religiões, para minimizar a discriminação religiosa, como também, a recusa ao desconhecido, que frequentemente é transmitida pela família, desde o nascimento.

Receba 48 redações corrigidas por apenas R$ 18 por mês *
Clique e conheça nossos planos

* Valor equivalente por mês para o Plano Anual.

Últimos Vídeos no Youtube

Clique aqui e inscreva-se no nosso canal

Img

Como driblar os desafios da liberação do porte de arma - Tema de redação para o ENEM

Img

A questão da fome no Brasil e seus fatores motivadores - Tema de redação para o ENEM

Img

Dicas de gramática: Colocação pronominal

Img

5 Possíveis Temas de Redação para o ENEM 2018